top of page

A humildade é a chave para a compreensão de si e do outro

Nessa ordem. Mas a compreensão não isenta a ação da devida correção.


Se engana aquele que acredita que ao apontar as falhas de alguém irá compreendê-las, ou corrigi-las. Se engana aquele que acha que palavras e discursos bem colocados provocam grande transformação. A compreensão do outro e a transformação só podem acontecer quando há humildade e abertura. Tanto do outro quanto de nós mesmos.

A maioria de nós olha as falhas e os defeitos dos outros e os julga com grande convicção, no entanto, esquece de olhar as próprias falhas e os próprios defeitos. A compreensão do outro só acontece de fato quando temos humildade suficiente para olhar de frente nossos próprios defeitos e falhas, nossas limitações; quando somos humildes o suficiente para aceitá-las e aceitar que não somos perfeitos e não conhecemos tudo. Na verdade, estamos bem longe disso. E a transformação (a nossa) começa exatamente aí. É no reconhecimento e na aceitação que a transformação tem permissão para começar, terreno fértil para brotar. E é somente a partir daí que se torna possível compreender o outro.

Compreender a nossa história individual nos permite que modifiquemos nossa ação no mundo, e é através das nossas ações autênticas e verdadeiras (conscientes) que ensinamos e melhoramos o mundo a nossa volta. E é na família que isso precisa começar; é a nossa ‘escola’.

Mas é importante registrar que a compreensão do outro, ou de si mesmo, não isenta nenhum de nós da correção do erro. Podemos compreender o porquê de uma atitude errada, violenta; compreender o caminho que levou até a ação, mas isso não significa que a ação não deve ser corrigida e/ou reparada, com punição severa se a lei exigir.

Às vezes surgem argumentos na tentativa de inocentar aquele que agiu muito mal, porque ele teve uma infância ruim, muitos traumas etc. É possível compreender, e cabe auxílio (se a pessoa desejar), mas passar a mão na cabeça como se fossem puras vítimas das circunstâncias não resolve, porque não educa. Na realidade, a verdadeira compreensão implica atitudes e correções coerentes e adequadas, exatamente o contrário da falta de atitude ou da atitude extremada.

Eu não sei vocês, mas eu conheço pessoas que nasceram nos mesmos ambientes, sofreram traumas e tiveram poucas oportunidades, e enquanto um fazia más escolhas, a outra buscou estudar e trabalhar honestamente, apesar das dificuldades e obstáculos. Se acolhemos uma como vítima das circunstâncias e lhe permitimos tudo, onde está o mérito do esforço e da superação da outra pessoa?

Isso é escolha, e mostra força de espírito.


A gente compreende, mas corrige.

Não é exatamente isso o que fazemos conosco quando percebemos nossas falhas? (bom, pelo menos deveria ser, se quisermos nos tornar humanos, e decentes).


Quando não há aceitação, não há espaço para transformação; e quando não há transformação, aquilo que não deveria ser normalizado, se vulgariza e os erros se perpetuam.


Abra os olhos e olhe para si,

Somente depois olhe ao seu redor.


Incline sua cabeça com humildade verdadeira,

Só assim será possível compreender a frase:

‘Quer mudar o mundo? Comece por você!’


humildade
Quando precisar de direção entregue-se primeiro e depois olhe para o céu. A resposta está no céu.

Há uma velha lenda, muito bela, que gosto muito, e vou finalizar o texto com ela, só para refletirmos.

Um aluno em visita ao seu Rabino pergunta:

- Rabbi, outrora havia homens que viam Deus ‘face a face’; por que não acontece mais isso?’

E o Rabino respondeu:

- Porque ninguém mais, hoje em dia, é capaz de inclinar-se suficientemente. É preciso curvar-se muito para beber do rio.


Sábio é o humilde que reconhece que tem muito a aprender e que precisará ser corrigido, às vezes, muitas vezes.


Me diz o que pensa a respeito disso? Eu gostaria muito de saber.

Beijo na testa e boa semana.

Que Deus nos abençoe! Mas ainda mais importante, que nós busquemos por Ele, verdadeira e humildemente.


Tati.


13 views0 comments

Recent Posts

See All

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page