top of page

O que você acha de dar palco para a exclusão?

Updated: May 29

Eu queria compartilhar algo com você.


A exclusão é um conceito infantil, e nós precisamos sair da infância em que nos mantemos e amadurecer, mesmo que esse processo seja gradual.

Precisamos começar, isso sim é para ontem.

 

Por que a exclusão, e por consequência a inclusão também, é um conceito infantil? Por que a exclusão pressupõe o diferente, certo?

E aí eu te pergunto, algum de nós é igual?

 

Não! Então por que falarmos em exclusão (ou inclusão)?

Nós não fomos criados para sermos iguais!

E essa é a graça!

 

Ainda que você não acredite em Deus, e

Acredite que a natureza te criou

Ou que o Nada te criou…

Ainda assim, não se pode negar o fato de que você foi criado diferente de todos os seres que o cercam, inclusive os humanos.

Aliás, eu ouso dizer que a diferença individual é um forte critério de definição do que é ser Humano.

 

Voltando…

Se nós focamos na exclusão, a gente apenas divide cada vez mais as pessoas, e permanecemos eternamente infantis.

 

Vou colocar exemplos meus. Eu sou filha de um negro com uma branca e por ser mulata, já fui excluída por não ser negra o suficiente, e já fui excluída por não ser “clara” o suficiente; ou por ter o cabelo crespo, ou hoje, por deixá-los naturalmente brancos, apesar da minha idade. Já fui excluída por não ter as mesmas crenças que determinados grupos tinham, ou por não ter determinadas habilidades…

 

Mas eu te pergunto, e daí?… Vou sentar no lugar de vítima e sofrer para o resto da vida?  Ou vou forçar os outros a me aceitar, ou a ver o meu valor?

 

Se você escolheu algumas das alternativas, errou!

 

Eu entendo que em muitas circunstâncias eu tenho limitações e não sei muito, ou quase nada, mas também reconheço que em outras situações e contextos, eu sei até demais. Eu sei que sou diferente, e, também, sei que os outros o são.

 

O privilégio de ser diferente não é meu. É de cada um de nós.

 

Quem exclui os outros por qualquer que seja o critério, não aprendeu a olhar para si, e ver que também é diferente, que também sofre exclusão em algum aspecto da vida, e por ser incapaz de entender isso, reproduz o que sofre com o outro.

 

Não existe um padrão! Isso é criação humana, que apenas serve para dividir pessoas. E enfraquecê-las.

Classificar e categorizar pode servir para objetos, para funções e, até para uma melhor organização, mas NUNCA para pessoas em sua própria existência.


Exclusão
Homens e Mulheres não são objetos para serem categorizados e separados.

Eu queria apenas compartilhar algumas perguntinhas para que pudéssemos pensar juntos, o que você acha? Aqui vai:

 

Será que defender grupos com base em suas diferenças une ou divide? Cria mais amor ou ódio?

Será que focar na diferença que o outro traz como um acréscimo não seria mais interessante?

Tentar fazer com que todos sejam padronizados, ou iguais, é construtivo ou destrutivo?

Será que tentar ser igual ao outro, fazer igual ao outro, em vez de ser quem eu sou e realizar as coisas em concordância com quem eu sou, me faz realmente satisfeito e pleno?

 

O que vocês pensam sobre isso?

Poderiam compartilhar aqui com a gente? Sua experiência pode ajudar outras pessoas a entenderem mais sobre si mesmas.

Eu agradeço, desde já a sua participação.

 

Um abraço, com carinho.

Deus abençoe.

Tatiana


P.S: Se você gostou do que leu, e gosta do conteúdo do site, por gentileza, compartilhe com quem você acredita que gostaria de ler e participar também. Agradeço. 🙏🏽

Para se inscrever e receber os conteúdos novos do site, ou enviar e-mail, clique aqui.


 

 

33 views0 comments

Recent Posts

See All

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page